Apesar disso, mercado espera que a inflação oficial do mês fique negativa em 0,40%.

O preço de venda dos imóveis residenciais em 50 cidades monitoradas avançou 0,18% em termos nominais (sem considerar a inflação) em junho, de acordo com o Índice FipeZap, divulgado nesta terça-feira (7).

A variação ficou abaixo da alta esperada para a inflação no período, de 0,24% - resultando em queda de 0,06% no preço real dos imóveis, caso a taxa de inflação seja confirmada.

No primeiro semestre, no entanto, os preços de venda dos imóveis residenciais tiveram alta acumulada de 1,11%, ante inflação de de 0,08%.

Se a variação do IPCA de maio for confirmada, os preços dos imóveis terão alta real (considerada a inflação) de 1,03%.

Nos últimos 12 meses, o valor dos imóveis acumula alta nominal de 0,81%, e uma queda real de 1,23%.

Maiores altas e baixas nas capitais Dentre as 16 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, as que apresentaram maior elevação de preço médio no último mês foram: Brasília (+0,63%) Manaus (+0,61%) Maceió (+0,59%).

Já as maiores quedas foram: Recife (-1,38%) Rio de Janeiro (-0,08%) Vitória (-0,06%) Preço médio de venda O preço médio dos imóveis chegou a R$ 7.294 por metro quadrado (m²) entre as 50 cidades monitoradas.

Rio de Janeiro se manteve como a capital monitorada com o preço do m² mais elevado (R$ 9.323/m²), seguida por São Paulo (R$ 9.132/m²) e Brasília (R$ 7.491/m²).

Já entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m², foram Campo Grande (R$ 4.256/m²), Goiânia (R$ 4.309/m²) e João Pessoa (R$ 4.313/m²).