Segundo o gerente regional do Sebrae na Serra Catarinense Altenir Agostini, aumentou a procura para a formalização de pequenas empresas.

Sebrae tem aumento na procura por orientações para empreender Empreendedores estão reinventando negócios e carreiras profissionais para sobreviver à pandemia do novo coronavírus.

Segundo o gerente regional do Sebrae na Serra Catarinense Altenir Agostini, aumentou a procura para a formalização de pequenas empresas. "Muito fortemente por conta do empreendedorismo por necessidade.

Mas também muitas pessoas identificando nessa crise várias oportunidades", explica.

Os músicos Douksas Vieira, conhecido como Gocha, e a Mônica Rodrigues são de Florianópolis, foram um dos primeiros a parar com as atividades em eventos durante a quarentena.

Eles resolveram fazer cucas para driblar a crise.

"Bolos e pães para arcar com o sustento da nossa família.

Tá dando muito certo, tem que ter fé a acreditar", explica Vieira.

O cantor Cesar Camargo de Araujo viu nas entregas uma oportunidade de trabalho.

"Eu vou voltar pra música, quando voltar tudo com certeza.

Mas, eu pretendo continuar, de dia eu tenho os horários livres e pretendo continuar fazendo as entregas", disse.

A especialista em doces finos Ketrin Ramos conseguiu aumentar o faturamento após adaptar o negócio.

"Foi resultado da mensagem que a gente passou.

De levar algo a mais, de não entregar só o doce de mostrar para as pessoas que nós queremos levar mais do que isso que nós queremos transformar o dia delas", afirma. A empreendedora passou a fazer entregas para as festas virtuais.

"Então nós preparamos caixas que a gente chama de caixa do abraço que já que você não pode abraçar pessoalmente, então a gente levou o abraço até essas pessoas.

Nós preparamos essas caixas, nessas caixas nós colocamos doces e bolo e entregamos na casa de cada convidado".

Veja mais notícias do estado no G1 SC