Pelo quarto dia consecutivo, o município registrou apenas 40% e foi o único destacado em vermelho no mapa das 104 localidades paulistas monitoradas nesta quinta-feira (21).

Índice de adesão de Presidente Prudente ao isolamento social no Estado, em 21 de maio Reprodução Pelo quarto dia consecutivo, Presidente Prudente registrou 40% de índice de isolamento social.

Nesta quinta-feira (21), a cidade teve novamente a pior taxa entre os 104 municípios monitorados no Estado de São Paulo, enquanto a média estadual foi de 49%. Conforme o Sistema de Monitoramento Inteligente (Simi-SP) do Governo de São Paulo, Araçatuba e Lins também tiveram 40%.

Contudo, essas cidades ficaram no grupo da cor mostarda e somente Presidente Prudente ficou destacada em vermelho. De acordo com o governo estadual, a coloração utilizada no mapa considera as casas decimais.

Foi explicado ao G1 que acima de 0,5 arredonda para cima, sendo uma "regra matemática".

Os resultados em vermelho são abaixo de 39,99%.

Percentuais até 39,6% aparecem como 40% por causa desse arredondamento. Já são 18 dias sem atingir percentual de isolamento social de 50% em Presidente Prudente.

O índice mais alto desde o dia 4 de maio foi o índice de 47%, em dois domingos, dias 10 e 17.

A última vez que o município esteve no grupo amarelo foi em 3 de maio, com 53%. Desde o início da quarentena no Estado de São Paulo, no dia 24 de março, os percentuais em Presidente Prudente variaram entre 37% e 54%. Conforme o governo estadual, a taxa ideal para controlar a disseminação da Covid-19 é de 70% e para a flexibilização da quarentena a média estadual deve ser de 55%. Segundo os dados oficiais da Vigilância Epidemiológica Municipal (VEM) atualizados até a quinta-feira (21), Presidente Prudente registra 102 casos confirmados do novo coronavírus e oito mortes decorrentes da Covid-19. Conforme o Estado, a central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social.

Com isso, é possível apontar em quais regiões a adesão à quarentena é maior e em quais as campanhas de conscientização precisam ser intensificadas, inclusive com apoio das prefeituras. No momento, há acesso a dados referentes de 104 cidades com mais de 70 mil habitantes. Com taxa de 40%, Presidente Prudente volta a ter a pior adesão ao isolamento social no Estado de SP Mais uma vez, Presidente Prudente tem baixa adesão ao isolamento social no fim de semana Com mais um exame positivo, Presidente Prudente chega a 102 casos confirmados de Covid-19 Reflexos Para o infectologista Rodrigo Sala Ferro, essa baixa adesão ao isolamento social pode trazer sérias consequências.

Contudo, os reflexos não são imediatos e podem surgir entre uma semana a duas semanas, já que após a disseminação a pessoa infectada demora cerca de cinco dias para apresentar sintomas. “O baixo isolamento vai fazer as pessoas transmitirem para outras pessoas e assim a consequência vai ser um alto índice de infectados, entre moderados e graves, que vão precisar de leitos de UTI [Unidade de Terapia Intensiva] e leitos de enfermaria.

O sistema de saúde privado e o SUS [Sistema Único de Saúde] não vão aguentar esse número abundante de pessoas infectadas”, explicou o infectologista ao G1. Ele salientou que todos devem contribuir com o isolamento social durante a quarentena.

“As pessoas precisam colaborar porque vai diminuir o índice de transmissão de uma pessoa para a outra”, pontuou Ferro ao G1. Infectologista Rodrigo Sala Ferro Arquivo pessoal A Prefeitura O G1 também questionou a Prefeitura de Presidente Prudente sobre os baixos percentuais, a frequente aparição do município entre os piores resultados do Estado e se o Poder Público pretende tomar novas atitudes.

Sobre a situação, foi enviada a seguinte nota à reportagem: “O Governo de Presidente Prudente analisa com preocupação os baixos índices de isolamento registrados na cidade, já que este é um fator importante para conter o avanço da doença.

Cabe ressaltar que as equipes de fiscalização do município continuam notificando estabelecimentos abertos e que não se enquadrem como essenciais, porém, o aumento nos índices de isolamento depende principalmente da conscientização da população”. Índice de adesão de Presidente Prudente ao isolamento social no Estado, em 21 de maio Reprodução Initial plugin text Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.