Estado iniciou nesta segunda-feira (25) a distribuição da vacina da Fiocruz (Oxford/AstraZeneca) contra a Covid-19 — Foto: Governo do Estado de São Paulo
O governo do Estado de São Paulo iniciou na manhã desta segunda-feira (25) a distribuição de 501 mil doses da vacina da Fiocruz (Oxford/AstraZeneca) contra a Covid-19 aos Grupos de Vigilância Epidemiológica (GVEs) para o abastecimento dos 645 municípios paulistas.


Para a área de abrangência do Departamento Regional de Saúde (DRS) de Presidente Prudente, ao qual estão vinculados 45 municípios, foram encaminhadas 9,4 mil doses.

Já para a região sob a jurisdição do DRS de Marília, ao qual estão ligados 12 municípios do Oeste Paulista, foram mandadas 13,3 mil doses do imunizante.

A saída dos caminhões começou em menos de 24 horas após o recebimento da remessa no Centro de Distribuição e Logística (CDL) estadual de São Paulo.

As grades devem chegar às regiões até a terça-feira (26) e cada cidade retirará seu respectivo quantitativo no GVE da região onde está localizada.

Os 56 municípios do Oeste Paulista estão divididos entre os GVEs de Marília, Presidente Prudente e Presidente Venceslau.

Na última semana, a vacina CoronaVac, do Instituto Butantan e do laboratório chinês Sinovac, começou a ser distribuída no dia 18 e foi concluída em 72 horas, totalizando 690 mil doses destinadas para todo o Estado.

As novas doses da vacina da Fiocruz foram viabilizadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. Assim como nas grades anteriores, a divisão regionalizada é baseada no quantitativo proporcional de vacinas previsto para São Paulo conforme o PNI.

Distribuição da vacina da Fiocruz (Oxford/AstraZeneca) contra a Covid-19 entre as regiões do Estado de São Paulo — Foto: Governo do Estado de São Paulo
Neste primeiro momento, profissionais de saúde, idosos com mais de 60 anos e pessoas com deficiência com mais de 18 anos vivendo em instituições de longa permanência, indígenas aldeados e quilombolas receberão as doses, com o apoio de equipes da atenção primária do Sistema Único de Saúde (SUS), segundo as estratégias adequadas ao cenário local.

A inclusão de novos grupos populacionais será norteada pelo PNI.

O governo de São Paulo determinou a inclusão dos quilombolas entre os grupos prioritários da primeira fase do Plano Estadual de Imunização (PEI). Este público não estava previsto pelo PNI para a etapa inicial da campanha.

A campanha de imunização contra a Covid-19 em São Paulo é desenvolvida segundo a disponibilidade das remessas do órgão federal. À medida em que o Ministério da Saúde viabilizar mais doses, as novas etapas do cronograma e públicos-alvo da campanha de vacinação contra a Covid-19 serão divulgadas pelo Estado.
 (G1/Prudente)

Deixe seu Comentário