Força-tarefa da Prefeitura recolheu materiais e veículos acumulados por homem de 85 anos em lote no bairro Florestan Fernandes.

Casa será construída no local e entregue ao aposentado.

Pá-carregadeira despeja em caminhão lixo acumulado em terreno por aposentado de 85 anos em Ribeirão Preto, SP Paulo Souza/EPTV Cinco caminhões lotados de materiais inservíveis foram retirados do terreno onde um aposentado de 85 anos morou por cinco anos dentro de um caminhão velho, em Ribeirão Preto (SP).

O mutirão coordenado pelo Comitê de Atenção às Pessoas em Situação de Acumulação terminou nesta quinta-feira (13).

Foram necessários dois dias para fazer a limpeza.

Além de roupas velhas, materiais recicláveis, ferramentas, bicicletas, móveis quebrados, uma geladeira, uma perua, um trailer, um carro e do caminhão, onde ele morava, a equipe também recolheu quatro micro-ondas, uma televisão, cobres e latinhas amassadas. Parte dos veículos e de objetos com valor para lojas de sucatas foi vendida.

Segundo a coordenadora do comitê, Kelly Cristina da Silva, o valor arrecadado até agora é de aproximadamente mil reais.

O dinheiro obtido vai ajudar a construir uma casa no mesmo terreno para o idoso. Kelly explica ao idoso as ações que o comitê está fazendo no terreno dele em Ribeirão Preto, SP Laura Scarpelini/G1 O caminhão velho ainda não foi vendido, porque a documentação do veículo está irregular.

“Estamos esperando um comprador, pois é necessário regularizar os documentos e reformar o veículo.

Senão, vamos vender as peças como sucata”, afirma Kelly. Morador do bairro Florestan Fernandes, na zona Leste de Ribeirão Preto, o idoso começou a acumular materiais há cerca de oito anos, e recusou ajuda da família.

Após morar em caminhão, idoso vai ganhar uma casa em Ribeirão Preto, SP Laura Scarpelini/ G1 Transtorno Segundo a coordenadora, ele foi diagnosticado com síndrome de Diógenes, que altera o comportamento de forma que a pessoa busque o isolamento.

O caso passou a ser acompanhado pela Secretaria de Assistência Social até que foi encaminhado ao Comitê.

Apesar de ser comum ver pessoas com o transtorno apresentarem resistência à retirada dos objetos, o aposentado não se opôs à operação, segundo o Comitê. “Por incrível que pareça, foi a ação mais tranquila em relação ao acumulador.

Ele se mostrou uma pessoa muito tranquila e entendeu que o que a gente está fazendo aqui era necessário”, diz Kelly. Casa nova O aposentado concordou em ficar com a família até que a nova casa seja erguida no terreno.

De acordo com a coordenadora do programa, as obras terão início a partir de segunda-feira (17).

Materiais como cimento, areia, cal e pedras foram garantidos por meio de doações de vizinhos.

“Conseguimos também um voluntário que vai erguer a casa.

Vamos fazer um cômodo grande com banheiro.

Ele vai ganhar uma cama, uma cômoda para colocar as roupas, uma televisão e uma geladeira.

Só vamos evitar um fogão, por conta do risco, pela idade dele.

Mas, todos os dias, ele vai se alimentar na casa da irmã”, diz Kelly.

Idoso acumulador é amparado por integrante de comitê da Prefeitura de Ribeirão Preto Kelly Silva/Arquivo pessoal Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca