Penalidade foi registrada em desfavor do proprietário de uma empresa de engenharia ambiental, que fazia plantio de mudas na localidade.

Fogo atingiu 35,2 hectares de área de vegetação nativa Polícia Militar Ambiental O proprietário de uma empresa de engenharia ambiental foi multado em R$ 264 mil, por danificar 35,2 hectares de vegetação nativa mediante ao uso de fogo.

O fato foi registrado nesta quarta-feira (12) pela Polícia Militar Ambiental, em Sandovalina.

Em atendimento à denúncia de fogo em Área de Preservação Permanente em uma fazenda em Sandovalina, a equipe de patrulhamento rural ambiental compareceu ao local para verificar a informação.

Na propriedade, a polícia foi informada pelo administrador da fazenda, que uma empresa de engenharia ambiental havia sido contratada para fazer o plantio de mudas na área em questão e que um funcionário da empresa havia acendido um pequeno fogo para espantar, com a fumaça, abelhas que haviam no local.

No entanto, devido a uma rajada de venda, as chamas se espalharam por toda a vegetação nativa, causando danos a 35,2 hectares.

Após verificação, a Polícia Ambiental constatou que a área está inscrita no Cadastro Ambiental Rural (CAR) como Área de Preservação Permanente, inserida no bioma da Mata Atlântica.

Diante dos fatos, foi elaborado em desfavor ao proprietário da empresa de engenharia ambiental um auto de infração por dificultar a regeneração natural de vegetação nativa, com multa de R$ 264 mil. Fogo atingiu 35,2 hectares de área de vegetação nativa Polícia Militar Ambiental Fogo atingiu 35,2 hectares de área de vegetação nativa Polícia Militar Ambiental Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.