Mulher descumpre prisão domiciliar para ir a jogo de futebol e acaba recapturada, em Pirapozinho

Benefício foi concedido a ela por ter um filho menor de idade. A criança foi deixada aos cuidados do Conselho Tutelar após a prisão da mãe.

Uma mulher, de 22 anos, que era beneficiada pela prisão preventiva domiciliar, descumpriu a ordem judicial para ir a um jogo de futebol e acabou recapturada neste fim de semana. O favorecimento ocorria devido ao filho, de 3 anos. Ela estava num clube que fica na Rodovia Olímpio Ferreira da Silva (SP-272), em Pirapozinho, quando foi capturada.

Conforme contou ao G1 o delegado Rafael Galvão, a polícia já havia sido informada de que a mulher descumpria, constantemente, a medida judicial, inclusive, para ir a jogos no Campo do Videira.

Então, neste fim de semana, equipes das polícias Civil e Militar seguiram ao campo e verificaram que, de fato, ocorria o descumprimento e, inclusive, o abandono do filho.

Desta forma, “fizemos a prisão dessa pessoa que era beneficiada pela prisão domiciliar apenas para cuidar do bebê que ela amamentava”. O Conselho Tutelar foi acionado.

“Sou favorável a essa benesse às lactantes, desde que elas realmente usem esse beneficio em prol da criança. Neste caso, além de não estar trabalhando, além de não estar em prol da criança, porque a criança estava abandonada, ela estava em um jogo de futebol. Ela abandonou a criança e estava descumprindo uma ordem judicial”, destacou Galvão ao G1.

A mulher foi presa em flagrante, assim como o marido, em dezembro do ano passado durante a Operação São Nicolau, desdobramento de outra, a Circulum, realizada no início de novembro, que teve como objetivo combater o tráfico de drogas na cidade e desmantelar uma célula do crime organizado local que atuava na venda de entorpecentes.

Ao passar por audiência de custódia, a mulher teve a prisão em flagrante convertida em preventiva domiciliar.

Evasão

A mulher deixou o filho na casa de um tio, conforme o delegado contou ao G1, e seguiu para um jogo de futebol local. Ela foi detida na plateia, “em evidente descumprimento de prisão preventiva domiciliar que pesa contra ela”.

“Uma vez não estando em seu estabelecimento prisional (domiciliar), trata-se, na verdade, de pessoa evadida de sue estabelecimento prisional próprio, em evidente descumprimento de ordem judicial cautelar”, diz a Polícia Civil.

Como não havia meio de reinseri-la em seu estabelecimento prisional de modo oficial, foi determinada sua manutenção no cárcere local, na Delegacia de Pirapozinho, até a sua devida apresentação à Justiça.

Policiais civis da região de Presidente Prudente prenderam 11 pessoas e apreenderam um adolescente durante a Operação São Nicolau, deflagrada nesta sexta-feira (21), em Pirapozinho. - A prisão domiciliar a presas sem condenação, gestantes ou mães de filhos com até 12 anos, foi concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em fevereiro do ano passado.

G1 Prudente

Comentários