Controlado o fogo na Reserva Lagoa São Paulo, em Epitácio

Os esforços de bombeiros e voluntários para controlar as focos do incêndio não param.

(Foto: O Imparcial)

Um incêndio, ainda não se sabe a origem, queimou 64% de uma reserva ambiental, em Presidente Epitácio.

Os esforços de bombeiros e voluntários para controlar as focos do incêndio não param. De acordo com ambientalistas os prejuízos são enormes para a fauna, a flora e a saúde do homem.

O fogo consumiu parte da vegetação da Reserva Estadual Lagoa São Paulo, que pertence à CESP(Companhia Energética de São Paulo). As chamas começaram no sábado à noite.

A estimativa é que mais de 1.500 dos 2.400 hectares foram queimados. Segundo a CESP é uma dos piores incêndios registrados na Reserva e estima-se em 10 anos o tempo de recuperação.

De acordo com a APOENA(Associação em Defesa do Rio Paraná, Afluentes e Matas Ciliares) a Reserva fica em um ponto importante para a preservação de várias espécies, no encontro do Rio Paraná com o Rio do Peixe.

Segundo a entidade ambiental, a queimada atrapalha o desenvolvimento do ecossistema, prejudica a reprodução e a alimentação de várias espécies de animais. Homens da Companhia e voluntários usaram abafadores, carros pipas e até drones para combater as chamas.

Ano passado essa mesma reserva já havia sofrido com um incêndio

Redação

Comentários