Após morte cerebral, órgãos de Agente Penitenciário são doados e ajudam salvar três vidas

Paulo Cesar de Lima, 57, era doador de órgãos e tecidos e após a confirmação de sua morte, três pessoas serão beneficiadas com a doação dos órgãos.

O Agente de Segurança Penitenciária (ASP), Paulo Cezar de Lima de 57 anos, teve seus órgãos doados após sofrer um acidente vascular cerebral hemorrágico (AVCH), no domingo de pascoa, dia 21, enquanto cumpria suas funções na penitenciária Mauricio Henrique Guimarães Pereira, a P2 de Presidente Venceslau.

Paulo era natural de Paraguaçu Paulista, tinha três filhos e veio para Presidente Venceslau, onde trabalhou na Santa Clara Veículos, antes de se tornar agente de segurança. Ele prestou concurso em 1998, e após ser aprovado começou seu trabalho como funcionário público em 1999 na P2, completando esse ano, 20 anos de serviço.

Segundo informações, Paulo havia acabado de iniciar seu turno, naquele domingo, quando se sentiu mal, queixando-se de dor de cabeça. Acabou sendo socorrido por outros agentes que lhe encaminharam a enfermaria da prisão, e logo após transferido para o hospital, onde após ser diagnosticado com acidente vascular cerebral hemorrágico (AVCH), ficou internado em estado grave, até terça-feira, quando os médicos confirmaram a morte cerebral.

Paulo era doador de órgãos e tecidos e após a confirmação de sua morte, foram captados o fígado e os dois rins. De acordo com a Santa Casa, três pessoas que esperam por um transplante serão beneficiadas com a doação dos órgãos.

O procedimento se deu através de uma equipe do Hospital das Clínicas de São Paulo, que realizou a captação do fígado, que foi transportado até a unidade de saúde na capital paulista em uma aeronave da Força Área Brasileira (FAB). O transplante do fígado foi realizado na tarde desta quarta-feira (24), segundo a Santa Casa. Já os rins foram captados por urologistas da Santa Casa e encaminhados para a Organização de Procura de Órgãos (OPO) de Marília (SP).

Equipes médicas do HC e Santa Casa após captação do fígado — Foto: Assessoria de Imprensa Santa Casa de Presidente Prudente

Equipes médicas do HC e Santa Casa após captação do fígado — Foto: Assessoria de Imprensa Santa Casa de Presidente Prudente

Paulo Cesar dedicou quase metade de sua vida protegendo a sociedade, através de seu trabalho como agente penitenciário, cumprindo a missão de servir e proteger, e em sua morte acabou salvando mais três pessoas, pelo belo gesto, na doação de seus órgãos.

Sua morte deixou familiares e amigos muito entristecidos, pois segundo um amigo que conviveu com ele, nesses 20 anos de serviço público, comentou que “Paulo era um grande amigo, muito prestativo, sempre disposto a ajudar”, inclusive salientou que “PC” como era chamado, era um excelente goleiro, finalizou emocionado o amigo de serviço.

Paulo Cezar de Lima foi sepultado na manhã dessa quinta-feira, 25, às 10h, em sua cidade natal, Paraguaçu Paulista, recebendo as honras de um grande ser humano em vida e um herói após a sua morte.

Comentários